Roteiro de Libertação

Versão para cópia
CAPÍTULO 11

DEFINIÇÃO E TESTEMUNHO

Parte 11
Sempre serás convidado a definições.

 

Políticos hábeis e pessoas interessadas envolver-te-ão nos seus argumentos, procurando conquistar-te para os seus partidos, ou intentando descobrir a tua filiação idealista.

 

Religiosos de muitas confissões tentarão atrair-te para a sua grei, combatendo as tuas opiniões, se por acaso diferirem do ponto de vista deles.

 

Pensadores de diferentes escolas buscarão influenciar-te o campo mental, seduzindo-te para as suas correntes.

 

Entusiastas de ideologias de paz ou de violência insistirão para que te definas no rumo que melhor lhes agrada, tornando-te um deles.

 

Técnicos de mercado insistirão por convencer-te, ganhando-te a adesão.

 

A neutralidade, de certo modo, na atual conjuntura humana, é impossível.

 

Sem dúvida, o indefinido, o neutro por conveniência, assume uma atitude ingrata em relação aos outros, e infeliz para consigo próprio, por ainda movimentar-se na dúvida, na insegurança, ignorando o que fazer e para que se encontra na Terra.

 

Em matéria de fé, deves, após meditar e sentir, definir-te, dar o teu testemunho.

 

Não apenas filiar-te a uma corrente religiosa; senão, adotar um comportamento coerente com a própria fé e não se envergonhar de declará-lo, de sofrer, se necessário, as consequências da atitude.

 

A vida propõe decisões que não se devem postergar indefinidamente.

 

Tudo tem o seu preço, no mundo de relações. Isto é: o valor que se impõe, correspondente ao investimento pelo consegui-se. O amor solicita abnegação e devotamento.

 

O ódio cobra distonia emocional e intoxicação orgânica.

 

O bem impõe sacrifício e desinteresse pessoal. O mal exige revolta e perversidade.

 

A caridade custa elevação de sentimentos e renúncia. O egoísmo arregimenta delinquência e perturbação. O homem integral é livre de preconceitos, superando barreiras e conveniências amesquinhantes, portanto, tendo a coragem de definir-se e viver conforme os padrões superiores da sua visão interior do mundo.

 

Não negues, nunca, a tua convicção religiosa, negociando-a por interesses que não somam na economia da paz íntima.

 

Convidado ao testemunho, tem a coragem de desvelar-te e demonstra, coerente, o valor dos teus princípios espirituais, lavrados na ética do bem e da dignidade.

 

Quando os biltres da insegura e infeliz política de Israel adentraram-se pelo Horto das Oliveiras, a procurar o Mestre, sob a condução de Judas, o Senhor apareceu-lhes e perguntou-lhes: "—A quem buscais?" Eles responderam: "—A Jesus de Nazaré. " 0 pulcro Amigo, então, com tranquilidade, sem receio nem vergonha do testemunho, adiantou-se e afirmou-lhes resoluto: Sou eu", entregando-se, em holocausto vivo, para ensinar-nos a assumir as responsabilidades que nos dizem respeito.

 

JOANNA DE ÂNGELIS

 

Porto, Portugal, 19/08/80

 


Joanna de Ângelis
Divaldo Pereira Franco


Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 11.
Para visualizar o capítulo 11 completo, clique no botão abaixo:

Ver 11 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?