Vitória Sobre a Depressão

Versão para cópia
CAPÍTULO 26

Conquista de Sentido Existencial

Pode-se sintetizar o comportamento humano em três atitudes existenciais: na miséria, na produtividade e no ócio.


A miséria pode expressar-se sob vários aspectos, embora seja vista como aquela exclusivamente de natureza econômica, na qual o ser estorcega em carências superlativas, experimentando fome, sede, frio e enfermidades tão afligentes quão devastadoras.


Existe, também, a miséria de ordem moral, aquela que se expressa através da perda dos valores éticos, empurrando para os abismos da degradação espiritual, da perda de dignidade e de consciência.


Pode ser detectada em todos os segmentos sociais, não elegendo apenas os desafortunados que chafurdam nas linhas abaixo da pobreza.


Doença da alma, arrebata as suas vítimas e as empurra para os vícios, os crimes de toda denominação, as condutas escabrosas… Também é encontrada na área mental, caracterizando diversos tipos de alienação que produzem transtornos profundos na razão e na consciência.


A produtividade, por sua vez, abarca a grande massa dos que trabalham, que aspiram a melhores condições existenciais, amealhando valores morais, intelectuais e econômicos com que edificam os lares, constroem as famílias e promovem a sociedade.


Representa o grupo humano que se afadiga por melhores condições de vida e se empenha pela mudança dos padrões socioeconômicos existentes, propondo novas condutas de bem-estar e relacionamentos edificantes entre as criaturas através do trabalho profícuo.


É um movimento contínuo de crescimento tecnológico e científico, ao mesmo tempo de manutenção dos recursos de preservação da vida em regime de harmonia e de conforto, alterando a paisagem do sofrimento mediante a contribuição dos tesouros que são investidos na saúde, na educação, na cultura, na recreação e na promoção do ser humano.


Constitui a formosa classe laboriosa, desde as mais humildes e úteis até as denominadas como de executivos, administradores e especialistas na condução de empresas e governos de instituições e de países que avançam no rumo da prosperidade.


Todo indivíduo, que trabalha estimulado pelo anseio de independência, movimenta-se com segurança na busca dos elevados objetivos que cultiva em relação à própria como às existências que se lhe vinculam.


Por fim, o volumoso número daqueles que transitam no ócio, saturados das comodidades em excesso, da bajulação enganosa, da facilidade com que fruem os prazeres que, por mais se renovem, não preenchem o vazio existencial.


Assinalando algumas dessas condutas, chega-se ao estresse, ao cansaço perturbador que desvariam e infelicitam.


Aturdidos, os primeiros e os últimos perderam o sentido existencial, o significado psicológico da vida.


Tornam-se cadáveres que respiram, quando não se deixam devorar por aflições descontroladas.


* * *

Toda vida tem um sentido especial, um objetivo de evolução.


Buscar identificá-lo, eis a meta inicial do ser humano, a fim de integrar-se no concerto da sociedade progressista.


Não importa se esse significado é de grande ou de pequena importância. O essencial é que produza estímulo para a luta e desenvolva o esforço para superar as injunções provacionais em que se encontra.


No caso do ócio, os recursos que se podem movimentar em favor da solidariedade são de relevância para a volta à ação dignificadora.


Estimulado a auxiliar, o indivíduo descobre-se útil e capaz de produzir em área diferente daquela que o levou a amealhar ou fruir as heranças milionárias era que se locupleta.


A vida na Terra é uma experiência rica de sentido e de significado, porque, não se encerrando no túmulo, descerra painéis de intemporalidade, de imortalidade. Nesse curso, as experiências era cada etapa dos renascimentos físicos desenham as ocorrências que serão enfrentadas no futuro.


Comenta-se com alguma segurança a respeito do pão para a vida como imprescindível para a existência humana. Todavia, mais do que de pão se necessita para bem viver-se. Enquanto o alimento material mantém o corpo, o significado existencial conduz o Espírito, dá-lhe impulsos fortes para o crescimento, para a conquista da sua realidade, do seu bem-estar.


A miséria, de qualquer espécie, resulta sempre da inobservância das leis de Deus, da insubordinação aos códigos do dever em relação à vida.


Desse modo, a miséria propõe o significado da reabilitação, da reconquista da consciência moral. Através do sofrimento, que decorre da escassez de recursos, o ser deve compreender que se encontra em processo de recuperação moral, adquirindo experiências e valores íntimos para a autossuperação, para a vitória sobre as circunstâncias em que se depara.


Nos outros comportamentos a lei de progresso proporciona o desenvolvimento espiritual pela ação produtiva, pela aplicação dos recursos da vida em favor da justiça social, da harmonia entre as criaturas, do crescimento das comunidades atrasadas e dos grupos humanos em sofrimento.


O ócio degradante é estágio doentio da evolução que estaciona, dando lugar ao amolecimento do caráter e a graves outros transtornos para o futuro do aprendiz.


* * *

A conquista de sentido existencial e proposta de Jesus, quando afirmou, enfático: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. (João 5:17) Incisivo, Ele propôs a ação edificante para todas as criaturas, sem qualquer distinção, de modo que a existência transcorra útil e saudável para o indivíduo e a sociedade que se promove com o seu esforço.


Descobre, desse modo, o significado da tua existência em paz, evitando o tumulto que estressa e a abastança que produz o tédio enfermiço.


Olha em teu derredor e age, acendendo a chama do entusiasmo íntimo, sustentado pelo combustível do dever que te induz ao amor a Deus, ao próximo e a ti mesmo, com as bênçãos da saúde, sem qualquer transtorno emocional.




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 26.
Para visualizar o capítulo 26 completo, clique no botão abaixo:

Ver 26 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?

Veja mais em...

João 5:17

E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.

jo 5:17
Detalhes