Dimensões da Verdade

Versão para cópia
CAPÍTULO 39

SOB TESTES E EXAMES

A cada instante o aprendiz do Evangelho é convidado a reflexão, para não descer ao abismo da irresponsabilidade.


Quando menos espera, a cólera o surpreende, disfarçada, trabalhando para seu aniquilamento. Se lhe resiste à investida inicial, muito falta para conservar-se em paz, pois que, surgindo novo ensejo, ei-la de volta, sitiando impiedosa.


Obrigado a retirar-se, deixa o seu miasma danoso, em forma de cansaço ou irritabilidade, que lhe servirão de base para acolhimento futuro...


Supondo-se livre, o discípulo do Cristo vê-se enrodilhado nas perigosas malhas da intriga, sem mesmo atinar como se deixou envolver pela atmosfera venenosa da maledicência ou da calúnia.


Recobrando, porém, o ânimo e demorando-se resoluto na peleja, descobre o azedume da incompreensão que o precede como ácido destruidor, espalhado pela senda.


Refugiando-se na paciência e bondade, é visitado pelos mil nonadas das exigências do cotidiano com que a frivolidade dos companheiros complica o tempo... E sente-se instigado por verdugos atormentantes, que parecem acumpliciados entre si com o objetivo central de impedir-lhe a ascensão.


Não há dúvidas de que testes e exames constantes fazem a verificação dos resultados evangélicos na mente e no coração do homem afeiçoado à lavoura cristã.


Com muita propriedade a Terra é considerada planeta de "provas e expiações".


A prova examina, experimentando o grau de preparação do educando.


A expiação ensina, rigorosa, a lição desperdiçada na inutilidade ou na viciação.


A prova lembra escolaridade.


A expiação solicita enfermagem.


O aprendiz estuda e se prepara para a vida.


O enfermo se reeduca e disciplina para continuar a vida.


Escola e Hospital são os valiosos recursos que se multiplicam para o discípulo sincero de Jesus, na jornada libertadora.


* * *

Exames e testes a todo instante.


Teste à paciência, exame da produtividade.


Teste à humildade, exame do amor.


Teste à bondade, exame da vigilância.


Teste à compreensão, exame da palavra.


Teste ao equilíbrio, exame do bem que jaz latente em todos os seres.


Por isso, a cólera, a intriga, a incompreensão e todo o cortejo de tentações que afligem o homem voltado para a luz de Cima são quesitos importantes, a responder com serenidade nas provas de hoje para evitar as expiações de amanhã.


A cólera produz para o manicômio.


A intriga trabalha para a guerra.


A incompreensão alicia para o crime.


O cansaço, a irritabilidade, a presunção, colaboram com egoísmo, tóxico destruidor de consciências e sentimentos.


Acautela-te, trabalhando na oração da confiança e do bem para a emancipação de ti mesmo.


A lâmpada acesa ilumina, mas não dispensa o combustível desta ou daquela natureza que lhe vitaliza o jorro de luz.


D servidor do Cristo deve deixar que "brilhe a sua luz" com os combustíveis da renúncia de si mesmo e da abnegação incessante.


* * *

Enquanto Nosso Senhor e Mestre esteve conosco, foi provado e testado em exames rudes e cruéis. No entanto, permaneceu fiel e digno até o fim. Quando reptado pelo amor, ao a sós, ao lado dos companheiros que dormiam, no Horto, à hora extrema; e mesmo aí, aguardando o supremo testemunho, orou, unindo-se ao Pai; e, ungido de abnegação e amor por todos, transformou, logo mais, os braços ásperos da cruz em asas luminosas com que ascendeu ao Reino, fazendo-nos o legado da Sua coragem e resistência ao mal para ensinar-nos que só o amor possui a força inamovível de edificar a verdade no coração do homem indefinidamente, sem tropeço nem queda.




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 39.
Para visualizar o capítulo 39 completo, clique no botão abaixo:

Ver 39 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?