Messe de Amor

Versão para cópia
CAPÍTULO 48

MOEDA-BONDADE

Converte a moeda humilde da tua bondade em repositório de luz ao alcance da dor.


Com ela descobrirás valiosos recursos que se podem transformar em alegria para muitos seres.


Embora desprovido do dinheiro, constatarás a riqueza que se desvaloriza no cofre da saúde por falta do uso adequado.


Os olhos que te proporcionam a encantadora bênção dos panoramas coloridos, podem levar à ignorância uma página de reconforto evangélico, traduzindo a mensagem simbólica das palavras veladas pelas letras.


Com eles poderás conduzir um cego na via pública, livrandoo dos perigos na travessia de uma artéria movimentada.


Utilizando as mãos sadias e ágeis removerás águas pestilentas, debelando focos de moléstias graves.


Renovarás o solo, cobrindo-o com plantações produtivas, multiplicando verduras e grãos para muitas mesas.


Tecerás agasalhos para a nudez envergonhada.


Aplicarás remendos em tecidos rotos que se tornarão úteis.


Corrigirás ramos retorcidos, nos braços do arvoredo; conduzirás volumes que sobrecarregam crianças e anciãos, apenas agitando essas antenas de socorro que são tuas mãos...


Com a voz exaltarás a Verdade falando sobre a harmonia do amor.


Defenderás a honra ultrajada.


Emitirás conselhos fraternos.


Entoarás a canção da esperança.


Abençoarás...


Somente com esses recursos do físico robusto poderás ser a fonte de misericórdia para os fracassados na peleja humana.


Com a inteligência aplicada à solidariedade como singelo dever, alçarás mentes e corações ao planalto glorioso da felicidade.


Com o sentimento afetivo presentearás o anjo da amizade à amargura distendida na multidão e rescenderás o perfume da compreensão entre os espinheiros da revolta devastadora.


E inteiro te converterás num escrínio de valiosas gemas a espalhar conforto e alento pelo grande caminho das almas...


Sempre podemos fazer algo pelo nosso próximo.


A miséria do conhecido enxerga tua abastança.


A revolta do vizinho olha tua serenidade.


A dor do mundo, em lágrimas de agonia, escuta o cântico dos teus júbilos.


Por que retardar a doação da tua generosidade?


A misericórdia que usas em favor de alguém se converte em tranquilidade em ti mesmo.


A caridade que endereças aos outros se enfloresce em teu coração como alegria perene.


E o perdão que ofereces aos que te ofendem se transformará num cântico de bênçãos pacificadoras na consciência sublime da tua vida.


Coloca, portanto, nas tuas mãos, a moeda da bondade que se demora sem valor, e ajuda sem restrição.




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 48.
Para visualizar o capítulo 48 completo, clique no botão abaixo:

Ver 48 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?