Messe de Amor

Versão para cópia
CAPÍTULO 42

PRUDÊNCIA

Recorre à prudência sempre que a dificuldade te aponte os tormentosos roteiros.


Dificuldade não é apenas obstáculo à frente, impedindo o avanço.


Há muito problema difícil que se manifesta como ambição portadora de loucura, ou desejo de triunfo intermediário do desregramento.


Encontrarás homens em problemas, movimentando largas disponibilidades bancárias, como aqueles em tormenta voluntária, por escassearem os recursos para a subsistência.


A prudência te dirá que todos os que retêm, sucumbem dominados pelos valores parados e mortos, a que se escravizaram infelizes e te lembrarás que muitos crimes são filhos da agressão desalmada e da insânia mental, porque supunham estar no dinheiro a solução dos problemas.


Resguarda-te, pois, na verdadeira posição de quem deseja acertar nas decisões.


Não amado, ama pelo prazer de amar.


Impossibilitado de atender aos anseios íntimos, contenta-te como estás.


Não te chegando auxílio dos outros, auxilia como possas.


Aproveita todas as lições com que a vida honra as tuas horas.


Atirar-se à primeira ideia, seguindo-a inquietado, seria como colocar espinhos na própria senda, por onde passarás.


Resolver o problema ao impacto da emoção desvairada, é comparável a derramar ácido de efeito demorado sobre a ferida aberta em chaga.


Aconselha-te com a prudência, antes que teu passo te leve à delinquência.


Amanhã devolverás à vida os empréstimos com que a vida te brindou, em forma de recursos passageiros ou provações retificadoras em nome do Nosso Pai, porquanto os únicos valores contábeis, após a morte, a seguirem conosco, são as ações que nos identificarão no grande amanhecer, após o demorado sono.




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 42.
Para visualizar o capítulo 42 completo, clique no botão abaixo:

Ver 42 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?