Messe de Amor

Versão para cópia
CAPÍTULO 39

... E VIVERÁS

Estás extenuado...


Cansaço, dúvida, infortúnio são as expressões que enlutam os teus lábios.


Desencorajado pelos companheiros que abusaram das fontes generosas da tua confiança pura, não te animas a encetar novas atividades.


Sabes, porém, que o desânimo é implacável inquilino do domicílio espiritual.


Entretanto, acreditas em abandono e não reages.


Não ignoras que a lâmina aguçada não é responsável pelos cortes que produz... Mas entregas o instrumento da produção à ferrugem, sem o necessário esforço de movimentá-lo em sentido edificante...


Sempre podes recomeçar, amigo.


Interioriza a busca da felicidade e descobre os tesouros de que podes dispor em favor dos outros.


Teu cansaço é também o cansaço de muitos que te deixaram a sós...


Tua dúvida é o resultado da aflição dos que fugiram do teu círculo...


Teu infortúnio é desesperação daqueloutros que soçobraram nas ondas encrespadas do testemunho...


Não creias necessário te ausentares do lar para ajudar a renovação do mundo.


Renova-te primeiro, onde vives.


Tens, no reduto em que moras e nas ruas por onde transitas, mil oportunidades de aprimoramento.


Vibre o verbo nos teus lábios, escorra a luz em teus olhos, movimente-se a força em tuas mãos, divida-se o amor em teu coração, e distribuirás tesouros em favor dos que estão contigo.


Sem que o saibas, és pedagogo para outros aprendizes.


Há consideração em redor dos teus passos.


O carinho aguarda momento de falar-te.


A alegria não é tua adversária.


Vai àqueles que não podem vir a ti.


Esquece mágoas que não têm fundamento.


Quem fere propositadamente está doente da razão.


Quem mantém inimigos ignora as leis de trocas que sustem a vida em a Natureza.


Todos necessitamos de algo ou de alguém para galgar os degraus na via de ascensão.


Espírito algum se libertará da Terra a caminho de um céu pessoal, para gozo próprio.


Não esqueças de que o bem que se faz é o único trabalho que faz bem, e esse serviço em favor dos outros é a caridade única em favor de nós mesmos, que pode atingir o cerne da alma, libertando-a para o sacerdócio do soerguimento do mundo.


Encerrando a entrevista com o sacerdote que procurava confundi-lo, disse o Mestre, na Parábola do Samaritano: "Vai tu e faze o mesmo!" Não abandones a oportunidade de ajudar, somente porque o cansaço, a dúvida e o infortúnio teimam em adquirir existência real para dominarem tua alma, estrangulando-a nos vigorosos tentáculos da aflição pessimista. Vence todo o mal e viverás.




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 39.
Para visualizar o capítulo 39 completo, clique no botão abaixo:

Ver 39 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?