Messe de Amor

Versão para cópia
CAPÍTULO 18

FIDELIDADE À FÉ

Ouves o clamor da multidão desvairada...


Vozes tumultuadas chegam aos teus ouvidos, chamando...


Gargalhadas, em festas estrondosas, repercutem na câmara auditiva da tua alma, como se representassem felicidade...


Desfilam ante os teus olhos, no banquete das ilusões, as personagens da comédia do dia a dia...


Acompanha-os com o olhar úmido, como se ele expressasse a tua soledade no mundo em confusão...


Gostarias de segui-los, participando com eles da algaravia e do prazer...


Parecem tão ditosos!...


Chamam-te e zombam da tua distância; convocam-te ao jogo agradável das emoções e ridicularizam a tua permanência na dignidade; apelam para os teus sentidos e gritam, revoltados, que estes se inibiram nas tuas carnes sem vibração...


Apresentam-te loucuras e, porque te demoras no posto do dever, derramam, chasquinando (5), a baba do desrespeito no corpo que honras. E compreendes que estás desajustado no mundo hodierno...


* * *

São incompatíveis, realmente, a fé espírita que difunde o pensamento do Cristo e a conduta profana que vibra em nome de Mamon. São pontos opostos: a linha cristã da definição espiritista e a conduta maleável do cidadão do mundo...


É certo que caminharás em soledade, experimentando, muitas vezes, um leve travo de amargura nos lábios, como se ele traduzisse a tua dor. Todavia, não temas o sofrimento. Aquele que sua, receoso, ante o dever a cumprir, poucas vezes atinge o ponto do dever cumprido. Faz-se necessário esmagar, na resolução firme, todos os apelos do "homem velho", para que, das fibras dilaceradas que se recompõem, nasça o "homem novo", como dos escombros orgânicos da lagarta, na histólise (6)


, surge a borboleta que voa, ligeira, singrando os céus livres...


Não te compreenderão os companheiros. Justificarão que o programa da fé nada tem que ver com a conduta do homem, como se se pudessem demarcar as fronteiras entre o efeito e a causa, esta e aquele.


Outras vezes procurarão dizer-te da necessidade de viver consoante vivem os outros, para que não sigas uma linha paralela qual se fosses um marginal. E é compreensível. Quando a virtude tem constrangimento em aparecer, porque a desonra é muito aplaudida, é natural que o homem que preza a vida casta, no culto do dever, sofra o aguilhão do medo, em meio aos corações desesperados. O exemplo, porém, é a luz da vida e Aquele que te chama preferiu o escarnecimento e a cedência ao abraço de César e à acomodação na palaciana residência do governante de Israel.


Pregando a doutrina do exemplo, não triunfou entre os triunfadores do mundo, mas sobrepujou-os a todos, como vencedor de todos os vencedores.


Podes fazer o mesmo, e fá-los-ás se te ligares intimamente a Ele e mantiveres a tua fidelidade à Doutrina Espírita que te oferece recursos para ser abundante quando tudo escasseia, feliz nas horas difíceis e a descobrir tesouros ignorados de luz, embora a noite plena, vitoriosa nos seus tecidos de sombra...


Sabes que retornas de um passado multimilenar, marcado por erros graves. E pelas cicatrizes que ameaçam transformar-se em novas feridas, conheces que as condecorações do cristão são as marcas vitoriosas no espírito macerado, depois das lutas vencidas
...

É imperioso velares pela paz que guardas contigo.


A lâmpada que não recebe combustível cedo se apaga.


O rio que não se atreve a vencer barreiras não atinge o mar.


És um espírito em crescimento e se os golpes da dor parecem vigorosos, não há porque temê-los.


O bloco de pedra bruta se converte em estátua, adquirindo forma e beleza, a golpes de escopro vigoroso.


Deixa, pois, que a dor te cinzele o íntimo, arrancando das múltiplas personalidades que conservas das reencarnações fracassadas, o espírito ilibado, avançando para o infinito...


Firma-te na convicção imortalista e constatarás que as joias que adereçam os homens nada valem quando os dedos não podem sustentá-las.


E aprenderás, amigo em combate, que do atrito benéfico sairás, em breve, fulgurante como um raio de sol que, em se desprendendo do astro-rei e jornadeando, em plenitude, atravessa tudo sem contaminar-se, e por mais viaje não se extinguirá jamais.


Notas


(5) Nota digital: Variação de chasquear: Zombar de, escarnecer. Dizer chascos, ridicularizar

(6) Nota digital: [ Biologia] Deterioração e dissolução dos tecidos orgânicos.


[Zoologia] Processo pelo qual nos insetos holometabólicos, em estado de pupa, a maioria dos órgãos larvais internos se transformam em matéria cremosa, com exceção dos histoblastos. (Destruição dos tecidos orgânicos).




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 18.
Para visualizar o capítulo 18 completo, clique no botão abaixo:

Ver 18 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?