Messe de Amor

Versão para cópia

À GUISA DE APRESENTAÇÃO

Allan Kardec, o abençoado Apóstolo da Terceira Revelação, no primeiro Capítulo de "O Evangelho Segundo o Espiritismo"
, nos itens 6 e 7, escreveu: " ... O Espiritismo é a terceira revelação da lei de Deus, mas não tem a personificá-la nenhuma individualidade, porque é fruto do ensino dado, não por um homem, sim pelos Espíritos, que são as vozes do Céu, em todos os pontos da Terra, com o concurso de uma multidão inumerável de intermediários. É, de certa maneira, um ser coletivo, formado pelo conjunto dos seres do mundo espiritual, cada um dos quais traz o tributo de suas luzes aos homens, para lhes tornar conhecido esse mundo e a sorte que os espera. "Assim como o Cristo disse: "Não vim destruir a lei, porém, cumpri-la"
,

também o Espiritismo diz: "Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução". Nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo; mas desenvolve, completa e explica, em termos claros e para toda gente, o que foi dito apenas sob forma alegórica. Vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras. Ele é, pois, obra de Cristo, que preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra. " (1)


Por essa razão, o Espiritismo é uma messe de amor, aguardando o coração humano para a saga abundante.


* * *

Algumas das páginas que constituem o presente livro, foram refundidas e recompiladas para melhor entrosamento no conjunto, considerando já terem sido divulgadas pela imprensa leiga e espiritista, sem que, contudo, perdessem o espirito que as caracterizava.


Não temos a veleidade de apresentar um novo roteiro para os espíritos em luta, quais nós mesma, na jornada evolutiva.


Anima-nos o propósito de contribuir, embora de maneira insignificante, com o esforço dos abençoados Obreiros do Mundo Maior, no que diz respeito à laboriosa tarefa de expansão do Reino de Deus, nos corações, no momento em que a família espírita, reconhecida e jubilosa, celebra o Primeiro Centenário da publicação, em Paris, de "0 Evangelho Segundo o Espiritismo ".


Revivendo a Boa Nova de Jesus Cristo, o Espiritismo desdobra o amor, convidando o homem à cruzada redentora da fraternidade por um mundo melhor e mais feliz.


Reconhecemos, todavia, o pouco valor do nosso esforço, em considerando a rica bibliografia espírita e evangélica sobre o assunto.


Como a Seara do Senhor é incomensuravelmente rica de luz, encorajamonos a apresentar estas páginas ditadas paulatinamente, num período superior a dez anos, sem qualquer pretensão literária ou prosápia exegética.


Nada trazem que possa ser incorporado ao patrimônio cultural de muitos.


Qual modesto glossário espírita-cristão, objetiva despertar algumas consciências adormecidas ou espíritos descuidados ante a incidência de acontecimentos diários, que nos surpreendem, ameaçando a paz interior.


Sabendo que uma gota d’água, aparentemente insignificante, se tivesse transformadas suas moléculas em grãos de areia, poderia tornar-se uma faixa de regular largura em torno do Equador... a mensagem de Jesus, que o Espiritismo desdobra e difunde, vivida em ações edificantes cobriria toda a Terra de amor e luz.


Concluindo, desejamos repetir com o ínclito Codificador do Espiritismo:

... "O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade. Ele chama os homens à observância da lei: ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas. Advertiu o Cristo: "Ouçam os que têm ouvidos para ouvir". O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras, sobre certos mistérios. Vem, finalmente, trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, atribuindo causa justa e fim útil a todas as dores. " (2)


Esperando ter colimado o objetivo a que nos propusemos, embora as nugas e imperfeições que nos caracterizam, saudamos no fiel Mensageiro, intérprete das aves do céu, o pregoeiro da Era Nova, exorando ao Mestre por Excelência, bênçãos para todos nós.


Joanna de Ângelis Salvador,


1. ° de fevereiro de 1964.


Notas


(1) O Evangelho Segundo o Espiritismo — 61 - Edição da FEB, página 53.


(2) Idem, idem. Capítulo VI — item 4, página 122, Notas da Autora espiritual.




Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo -1.
Para visualizar o capítulo -1 completo, clique no botão abaixo:

Ver -1 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?