Vida: Desafios e Soluções

Versão para cópia

O milagre da vida

Por mais que a mente humana interrogue a respeito da vida, na atual conjuntura do conhecimento intelectual, embora inegavelmente vasto, difícil se torna encontrar as respostas adequadas que lhe facilitem apreender todo o seu sentido e significado.


Reduzindo-a a acasos absurdos, destituídos de qualquer lógica, alguns investigadores simplificaram-na, eliminando maiores preocupações em torno da sua magnitude.


Outros a estabeleceram sobre conteúdos mitológicos de fácil aceitação, graças aos componentes do sobrenatural e do maravilhoso.


O milagre da vida é muito mais complexo e, por isso mesmo, o seu ponto de partida somente pode ser encontrado no Criador que a elaborou e a vem conduzindo através de bilhões de anos, produzindo na sua estrutura as indispensáveis adaptações, desdobramentos, variações...


No que diz respeito à vida humana em si mesma, detectamos sua gênese no Psiquismo Divino, que a concebeu e a inspira, proporcionando-lhe a energia de que se nutre, que a impulsiona ao crescimento através das multifárias reencarnações do Espírito imortal, também denominado princípio inteligente do Universo.


Simples, na sua constituição, liberta as complexidades que se lhe fazem necessárias para o crescimento, qual semente que se intumesce no seio generoso do solo, a fim de alcançar o vegetal que é a sua fatalidade, ora dormindo no seu íntimo.


Ignorante quanto à sua destinação, desperta para a própria realidade mediante as experiências intelectuais e vivências morais que o capacitam para a conquista da plenitude.


À semelhança da semente humilde e nobre, que jamais contemplará a espiga dourada, em razão da morte que lhe faculta o surgimento do grão, o Espírito, na sua simplicidade inicial como psiquismo, não se apercebe do anjo que se lhe encontra silencioso no âmago, e um dia singrará os infinitos rios da Imortalidade.


Esse processo de evolução, no entanto, é assinalado por desafios, cada vez mais graves e significativos, quanto mais se lhe desdobram as faculdades e o discernimento.


O desabrochar dos valores internos é, de certa maneira, dilacerador em todas as espécies vivas.


A vida vegetal rompe a casca protetora da semente, a fim de libertar-se; o mesmo ocorre com o ser humano que se vê envolto pela carapaça forte que o encarcera no princípio e cuja prisão lhe deixa marcas profundas que devem ser eliminadas, na razão direta em que se desenvolve e passa a aspirar a mais amplos espaços e a mais gloriosa destinação.


A luta se lhe faz, portanto, intensa, sem quartel, avolumandose na medida da capacidade de resistência e de esclarecimento que lhe facultam as vitórias.


Viver é um desafio sublime, e realizá-lo com sabedoria é uma bem-aventurança que se encontra à disposição de todo aquele que se resolva decididamente por avançar, autossuperar-se e alcançar a comunhão com Deus.


Estudamos, neste modesto livro, diversos desafios que o homem e a mulher modernos enfrentam no cotidiano.


Graças ao valioso concurso das doutrinas psíquicas em geral e da Psicologia Espírita em particular, excelentes contribuições existem e se encontram disponíveis para todos aqueles que estão sinceramente interessados na construção de uma consciência saudável, de um ser responsável e lúcido, de uma sociedade feliz.


Não apresentamos nenhuma fórmula mágica, e tal não existe, que possa resolver as dificuldades e os problemas naturais, que fazem parte do processo da evolução.


Todas as propostas e soluções para os desafios existenciais da vida dependem de cada pessoa, do seu esforço, da sua perseverança e da sua ação confiante.


O que não seja conseguido em um momento, mediante a insistência saudável será alcançado depois.


Reconhecemos que existem excelentes obras que abordam alguns, senão a quase totalidade dos temas aqui apresentados, e com melhores contribuições.


A nossa singela colaboração, porém, se fundamenta nos postulados vigorosos da Doutrina Espírita, que vem, desde há quase cento e quarenta anos, quando da publicação de O Livro dos Espíritos, por, (1) Allan Kardec, no dia 18 de abril de 1857, iluminando vidas e libertando consciências.


Confiamos que, embora inexpressiva, a nossa oferenda poderá auxiliar algum leitor que se encontre experimentando.


1- Nota da Editora - Com a publicação da presente obra, homenageamos O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, por ocasião do transcurso do seu 140° aniversário de publicação, que ocorrerá no próximo dia 18 de abril do ano em curso.


Igualmente, congratulamo-nos com o médium Divaldo Pereira Franco, pela celebração do seu cinquentenário de labor espírita pela palavra, iniciada medi unicamente no dia 27 de março de 1947, na cidade de Aracaju, Sergipe, onde terá lugar o Io Congresso Espírita Estadual, nos dias 27 a 30 de março próximo, comemorando a abençoada ocorrência.


Desafios, aqui descobrindo as soluções correspondentes e tornando-se harmonizado, a caminho da conquista da felicidade.


#fonte Salvador, 20 de janeiro de Joanna de Ângelis|


Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo -1.
Para visualizar o capítulo -1 completo, clique no botão abaixo:

Ver -1 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?