Pensamento de Emmanuel (O)

Versão para cópia
CAPÍTULO 33

Trabalho

O cientista, no conforto do laboratório, e o marinheiro rude, sob a tempestade, estão trabalhando para o Senhor; entretanto, para a felicidade de cada um, é importante saber como estão trabalhando.


(V. L.)


Se, na ordem divina, cada árvore produz segundo a sua espécie, no trabalho cristão, cada discípulo contribuirá conforme sua posição evolutiva.


(C. V. V.)


O trabalho é um relógio contra as aflições que dominam a alma.


(R. – 5/950)


O trabalho é sempre instrutor do aperfeiçoamento.


(R. – 8/950)


Todo minuto é uma época nova, é o despontar da aurora, concitando-nos a fadigas lucrativas. Para o campo em que nos empenhamos não há pôr do sol, mas sempre este se manifesta em toda a sua pujança de luz e de força, crestando a erva mirada, fazendo, no entanto, germinar a semente válida.


(R. – 12/950)


O trabalho é a escada divina de acesso aos lauréis imarcescíveis do espírito.


Ninguém precisa pedir transferência para Júpiter ou Saturno, a fim de colaborar na criação de novos céus. A Terra, nossa casa e nossa oficina, em plena paisagem cósmica, espera por nós, a fim de que a convertamos em glorioso paraíso.


(Rot.)


Há companheiros que atingem o disparate de se proclamarem tão pecadores e tão maus que se sentem inabilitados a qualquer espécie de concurso sadio na obra cristã, como se os devedores e os ignorantes não necessitassem trabalhar na própria melhoria.


(V. L.)


Se teu próximo não pode alçar-se ao plano espiritual em que te encontras, podes ir ao encontro dele, para o bom serviço da fraternidade e da iluminação, sem aparatos que lhe ofendam a inferioridade.


(C. V. V.)


Todos podem transmitir recados espirituais, doutrinar irmãos e investigar a fenomenologia, mas para imanar corações em Jesus Cristo é indispensável sejamos fiéis servidores do bem, trazendo o cérebro repleto de inspirações superior e o coração inflamado na fé viva.


(V. L.)


O trabalhador deve aproveitar a primavera da mocidade, o verão das forças físicas e o outono da reflexão, para a grande viagem do inferior para o superior; entretanto, a maioria aguarda o inverno da velhice ou do sofrimento irremediável na Terra, quando o ensejo de trabalho está findo.


(V. L.)


O trabalhador que passa a vida inteira trabalhando ao sol no amanho da Terra, fabricando o pão saboroso da vida, tem mais valor para Deus que os artistas de inteligência viciada, que outra coisa não fazem senão perturbar a marcha divina das suas leis.


(Com.)


O que o homem não deve esquecer, em todos os sentidos e circunstâncias da vida, é a prece do trabalho e da dedicação, no santuário da existência de lutas purificadoras, porque Jesus Abençoará as suas realizações de esforço sincero.


(Com.)


Trabalhemos sempre com o pensamento voltado para Jesus, reconhecendo que a preguiça, a suscetibilidade e a impaciência nunca foram atributos das almas desassombradas e valorosas.


(Emm.)


Não olvidemos que Jesus passou entre nós, trabalhando. Examinemos a natureza de sua cooperação sacrificial e aprendamos com o Mestre a felicidade de servir santamente.


Podes começar hoje mesmo.


Uma enxada ou uma caçarola constituem excelentes pontos de início. Se te encontras enfermo, de mãos inabilitadas para a colaboração direta, podes principiar mesmo assim, servindo na edificação moral de teus irmãos.


(P. N.)


Trabalhe cada um com o material que lhe foi confiado, convicto de que o Supremo Senhor não atende, no problema de manifestações espirituais, conforme o capricho humano, mas, sim, de acordo com a utilidade geral.


(P. N.)


A lei do trabalho é roteiro da justa emancipação.


(P. V.)








Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 33.
Para visualizar o capítulo 33 completo, clique no botão abaixo:

Ver 33 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?