Pensamento de Emmanuel (O)

Versão para cópia
CAPÍTULO 32

Temas Variados

Há grande diversidade entre doutrinar e evangelizar. Para doutrinar, basta o conhecimento intelectual dos postulados do Espiritismo; para evangelizar é necessário a luz do amor no íntimo. Na primeira, bastarão a leitura e o conhecimento; na segunda, é preciso vibrar e sentir com o Cristo.


(Com.)


Se os encarnados sentem a existência de fluidos imponderáveis que ainda não podem compreender, os desencarnados estão marchando igualmente para a descoberta de outros segredos divinos que lhes preocupam a mente.


(Emm.)


Razão sem luz pode transformar-se em simples cálculo.


Instrução e ciência são portas de acesso à educação e à sabedoria.


Quem apenas conhece nem sempre sabe.


(Prefácio Av. C.)


No crepúsculo da civilização em que rumamos para a alvorada de novos milênios, o homem que amadureceu o raciocínio supera as fronteiras da inteligência comum e acorda, dentro de si mesmo, com interrogativas que lhe incendeiam o coração.


Quem somos?


Donde viemos?


Onde a estação de nossos destinos?


Á margem da senda em que jornadeia, surgem os escuros estilhaços dos ídolos mentirosos que adorou e, enquanto sensações de cansaço lhe assomam à alma enfermiça, o anseio da vida superior lhe agita os recessos do ser, qual braseiro vivo do ideal, sob a espessa camada de cinzas do desencanto.


(Rot.)


Que os trabalhadores da direção saibam amar, e que os da realização nunca odeiam. Essa é a verdade pela qual compreendemos que todos os problemas do trabalho, na Terra, representam uma equação de Evangelho.


(Com.)


A mente juvenil necessita aceitar a educação construtiva que lhe é oferecida, revestindo-se de poderes benéficos, na ação incessante do bem, a fim de que os progenitores se sintam correspondidos na sua heróica dedicação.


(V. L.)


Na qualidade de político ou de varredor, num palácio ou numa choupana, o homem da Terra pode fazer o que lhe ensinou Jesus.


(C. V. V.)


Os espiritistas sinceros, na sagrada missão de paternidade, devem compreender que o batismo, aludido no Evangelho, é o da invocação das bênçãos divinas para quantos a eles se reúnem no instituto santificado da família.


(Con.)


Personalidade em luta, na Crosta Planetária, é alma estreita. Somente o trabalho e o sacrifício, a dificuldade e o obstáculo, como elementos de progresso e auto-superação, podem dar ao homem a verdadeira de sua grandeza.


(P. N.)


A vida no além é também atividade, trabalho, luta, movimento. Se as almas estão menos submetidas ao cansaço, não combatem menos pelo seu aperfeiçoamento.


(Emm.)


A leviandade, a ignorância, a perturbação, a desordem, a incompreensão e a ingratidão constituem paisagens de trabalho espiritual, reclamando-nos a atuação regeneradora.


(R. – 10/953)


O conceito da mediocridade modifica-se no plano de nossas conquistas universalistas, depois das transições da morte.


Aí no mundo, costumais entronizar o escritor que enganou o público, o político que ultrajou o direito, o capitalista que se enriqueceu sem escrúpulos de consciência, colocados na galeria dos homens superiores. Exaltando-lhes os méritos individuais com extravagâncias louvaminheiras, muito falais em "mediocridade", em "rebanho", em "rotina", e, "personalidade superior".


(Com.)


Não basta investigar fenômenos, aderir verbalmente, melhorar a estatística, doutrinar consciências alheias, fazer proselitismo e conquistar favores da opinião, por mais respeitável que seja, no plano físico. É indispensável cogitar do conhecimento de ossos infinitos potenciais, aplicando-os por nossa vez, nos serviços do bem.


(Pref. N. L.)


O "mas" é a conjunção que, nos processos verbalistas, habitualmente nos define a posição íntima perante o Evangelho. Colocada à frente do Santo Nome, exprime-nos a firmeza e a confiança, a fé e o valor; contudo, localizada depois dele, situa-nos a indecisão e a ociosidade, a impermeabilidade e a indiferença.


(P. N.)


O médico honesto e sincero, amigo da verdade e dedicado ao bem, é um apóstolo da Providência Divina, da qual recebe a precisa assistência e inspiração, sejam quais forem os princípios religiosos por ele esposados na vida.


(Com.)


A medicina humana, compreendida e aplicada dentro de suas finalidades superiores, constitui uma nobre missão espiritual.


(com.)


Toda mulher, e normalmente todas as mães, precisam compreender o valor da renúncia, da caridade, do perdão.


(Ren.)


A mulher, símbolo do santuário do lar e da família, na sua espiritualidade, pode, por muitas vezes, numa simples reflexão, devassar mistérios insondáveis dos caracteres e das almas, na tela espessa e sombria das reencarnações sucessivas e dolorosas.


(Há 2000 A.)


O mundo é sempre um lago revolvido pelo vento das paixões e, no funda das águas, há sempre vasa que sufoca as mais nobres aspirações do espírito.


(50 A. D.)


O mundo é um compêndio gigantesco, em que nos cabe descobrir os recursos de melhoria e elevação.


(R – 1/953)


A súplica, no remorso, traz-nos a bênção das lágrimas consoladoras. A rogativa, na aflição, dá-nos a conhecer a deficiência própria, ajudando-nos a descobrir o valor da Humanidade. A solicitação, na dor, revela-nos a fonte sagrada da Inesgotável Misericórdia.


(V. L.)


O problema não é o de nos informamos se alguém está falando em nome do Senhor; antes de tudo, importar saber se o portador possui algo do Cristo para dar.


(V. L.)


A preocupação de proselitismo é sempre perigosa para os que se seduzem com as belezas sonoras da palavra sem exemplos edificantes.


(V. L.)


O remorso é a força que prepara o arrependimento, como este é a energia que percebe o esforço renegerador. Choque espiritual nas suas características profundas, o remorso é o interstício para a luz, através do qual recebe o homem a cooperação indireta de seus amigos do Invisível, a fim de retificar seus desvios e renovar seus valores maiores, na jornada para Deus.


(Com.)


Ontem, aprendíamos a ciência no Egito, a espiritualidade na Índia, o comércio na Fenícia, a revelação em Jerusalém, o direito em Roma e a filosofia na Grécia. Hoje, adquirimos a educação na 1nglaterra, a arte na 1tália, a paciência na China, a técnica industrial na Alemanha, o respeito à liberdade na Suíça e a renovação espiritual nas Américas.


(Rot.)


Todos os corpos na Terra terão de morrer. Assim, por força das leis naturais inelutáveis, jamais teremos, neste mundo, absoluta saúde física. Nosso organismo sofre a ação de todos os processos ambientes. O calor incomoda, o frio nos faz tremer, a alimentação nos modifica, os atos da vida determinam a mudança dos hábitos. Mas o Salvador nos ensina a procurar uma saúde mais real e preciosa, que é a do espírito. Possuindo-a, teremos transformado as causas de preocupação de nossa vida, e habilitamo-nos a gozar a relativa saúde física que o mundo pode oferecer nas suas expressões transitórias.


(P. E.)


Caminhar do berço ao túmulo, sob as marteladas da tentação, é natural. Afrontar obstáculos, sofrer provações, tolerar antipatias gratuitas e varar tormentas de lágrimas são vicissitudes lógicas da experiência humana.


(R. – 7/953)


Não poderá haver acordo entre a virtude e o pecado. E como o pecado ainda domina o mundo, a tarefa apostólica em seus trâmites será sempre um doloroso espetáculo de sacrifício para as almas comuns.


(Ren.)


Em todas as escolas religiosas, a teologia, representando as diretrizes de patriarcas veneráveis da fé, procurar controlar o campo emotivo dos crentes, acomodando os interesses imediatistas da alma encarnada. Para isso, criou regiões definidas, tentando padronizar as determinações de Deus pelos decretos dos reis medievais, lavrados à base de audaciosa ingenuidade.


(Pref. O. V. E.)


A Terra, até agora, no que se refere às organizações religiosas, tem vivido repleta dos que confessam a existência de Deus, negando-O, porém, através das obras individuais.


(C. V. V.)


A civilização sempre cuida saber excessivamente, mas, em tempo algum, soube como convém saber.


É por isso que, ainda agora, o avião bombardeia, o rádio transmite a mentira e a morte, e o combustível alimenta maquinaria de agressão.


Assim também, na esfera individual, o homem apenas cogita saber, esquecendo que é indispensável saber como convém.


(V. L.)


O "sim" pode ser muito agradável em todas as situações, todavia, o "não", em determinados setores da luta humana, é mais construtivo.


(P. N.)


A sociedade humana pode ser comparada a imensa floresta de criações mentais, onde cada espírito, em processo de evolução e acrisolamento, encontra os reflexos de si mesmo.


(P. V.)








Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 32.
Para visualizar o capítulo 32 completo, clique no botão abaixo:

Ver 32 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?