Pensamento de Emmanuel (O)

Versão para cópia
CAPÍTULO 23

Liberdade

Somente o dever bem cumprindo nos confere acesso à legítima liberdade.


(P. N.)


Preconiza-se na atualidade do mundo uma educação pela liberdade plena dos instintos do homem, olvidando-se, pouco a pouco, os antigos ensinamentos quanto à formação do caráter no lar; a coletividade, porém, cedo ou tarde, será compelida a reajustar seus propósitos.


(C. V. V.)


Somente o bem pode conferir o galardão da liberdade suprema, representando a chave única suscetível de abrir as portas sagradas do Infinito à alma ansiosa.


(C. V. V.)


Nenhum culto, que se prende a Deus pela devoção e por determinados deveres religiosos, tem o direito de interferir nos movimentos transitórios do Estado, como este último não tem o direito de intervir na vida privada da personalidade, em matéria de gosto, de sentimento e de consciência, segundo as velhas fórmulas do liberalismo.


(Emm.)








Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 23.
Para visualizar o capítulo 23 completo, clique no botão abaixo:

Ver 23 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?