Pensamento de Emmanuel (O)

Versão para cópia
CAPÍTULO 13

Direitos e Deveres

Emmanuel


Os direitos da nossa condição não traduzem deveres de impiedade. . .


(Há 2000 anos. . .)


Cada criatura foi chamada pela Providência a determinado setor de trabalhos espirituais na Terra.


Em razão desta verdade, meu amigo, vê o que fazes e não te esqueças de subordinar teus desejos a Deus, nos negócios que por algum tempo te forem confiados no mundo.


(Vinha de Luz)


É muito importante o conhecimento do bem, mas que não esqueçamos as boas obras; é justo se nos dilate a esperança, diante do futuro, à frente da sublimidade dos outros mundos em glorioso porvir, mas não olvidemos os pequeninos deveres da hora que passa.


(Vinha de Luz)


Não estamos na obra do mundo para aniquilar o que é imperfeito, mas para completar o que se encontra inacabado.


(Vinha de Luz)


Onde estivermos, atendamos ao impositivo de nossas tarefas, convencidos de que nossas mãos substituem as do Celeste Trabalhador, embora em condição precária.


(Vinha de Luz)


A profissão, honestamente exercida, embora em regime de retribuição, inclina os semelhantes para o culto ao dever.


(Pensamento e Vida)


O dever define a submissão que nos cabe a certos princípios estabelecidos como leis pela Sabedoria Divina, para o desenvolvimento de nossas faculdades.


(Pensamento e Vida)








Acima, está sendo listado apenas o item do capítulo 13.
Para visualizar o capítulo 13 completo, clique no botão abaixo:

Ver 13 Capítulo Completo
Este texto está incorreto?